Páginas

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Prêmio Garcia Netto 2009


 

Dia 5 de junho de 2009. Entrega do Prêmio Garcia Netto de Comunicação aos destaques do ano anterior. Na foto aparecem o vereador André Bandeira, o autor desta coluna, e o vereador Capitão Gomes, que instituiu a láurea aos comunicadores locais. Na ocasião, foi entregue o prêmio na categoria Documentário Jornalístico, devido ao resgate cultural apresentado por esta coluna todo sábado no suplemento “Revista” da Tribuna Piracicabana. À todos temos um eterno agradecimento : àqueles que fizeram história, aos nobres vereadores que instituíram o prêmio e a você leitor que nos lê semanalmente. Obrigado por nos acompanhar neste ano e que continuemos seguindo esta coluna que busca recordar o passado de Piracicaba. (Edson Rontani Júnior)

domingo, 29 de agosto de 2010

Prudente de Moraes e os papagaios do Congresso


Passa o tempo e notamos que a política não muda. Prudente de Moraes, que teve grande vínculo com Piracicaba, se depara com as agruras do Congresso Nacional, como o primeiro presidente civil do país. A carioca “Revista Illustrada”, edição 736, do ano de 1898, satirizava Prudente ao ler sua mensagem aos deputados e senadores, os quais são retratados como papagaios. Na charge, os nobres parlamentares podem vistos como meros repetidores e donos de um afiado bico. No rodapé, a mensagem : “Depois que Prudente comunicou ao Congresso a sua mensagem, em todos os poleiros da política houve certo reboliço, caindo tudo na pasmaceira em que temos estado.  Note o aspecto dos ouvintes que lhe querem dar algumas bicadas ....”. Revista do acervo de Gilberto Maringoni. (Edson Rontani Júnior)

Tele-Rádio Importadora



Importante colaboração da escritora Ivana França Negri. Registro do comércio local em foto tirada na década de 1950. A “Tele-Rádio Importadora”, de Albino Pousa Godinho, situava-se em área nobre na rua Governador Pedro de Toledo esquina com a rua Dom Pedro I, em frente ao Largo do Mercado e ao lado da Igreja Metodista. Hoje, o prédio é ocupado por uma rede bancária. Por ela, nota-se que a loja venda os mais sofisticados aparelhos eletrodomésticos, como enceradeiras, geladeiras e aparelhos de televisão. Albino era irmão de Belmácio, importante músico do interior paulista e dono de “A Musical”, que comercializava produtos idênticos, ainda hoje na ativa através de Reinaldo Pousa. (Edson Rontani Júnior)

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Prudente de Moraes


Uma figura muito divulgada na disciplina Educação Moral e Cívica quando ainda fazia parte do ensino estadual nos anos 70 e 80. Prudente de Morais foi o terceiro presidente da república brasileira e o primeiro civil a ocupar o cargo. Nasceu em Itu, mas viveu e morreu em 1902 em Piracicaba. Está enterrado no Cemitério da Saudade. Foi administrador da cidade de Piracicaba no final do Império, além de governador de São Paulo e senador. Perdeu o pai aos três anos, assassinado por um escravo. Veio a Piracicaba em 1865 para ser advogado. Presidente Prudente e Prudentópolis são duas cidades que o homenagearam com seus respectivos nomes. (Edson Rontani Júnior)

domingo, 22 de agosto de 2010

Hospital Unimed


Prestes a completar seus 40 anos de fundação, a Unimed Piracicaba segue com seu projeto audacioso : a construção de um hospital modelo em área situada no bairro Jardim Petrópolis. A foto, tirada em dezembro de 1992, quando era assentada a pedra fundamental desse hospital. Nela, em primeiro plano, três de seus ex-presidentes : Manoel Gomes Tróia, Alcides Aldrovandi (falecido) e Eudes de Freitas Aquino. (Edson Rontani Júnior)

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

José Pinto de Almeida


José Pinto de Almeida é uma importante rua da área central de Piracicaba. Esse ilustre português nascido em São Miguel de Rebordosa, veio ao Brasil com 15 anos de idade, se estabelecendo inicialmente no Rio de Janeiro. Um conterrâneo o convidou para trabalhar em Piracicaba, chegando por aqui em 25 de maio de 1827. Atuou como caixeiro e adquiriu uma loja de tecidos na rua Direita, hoje Morais Barros. Fundou a Santa Casa e a Casa das Irmandades do Santíssimo Sacramento, instituições de beneficência às quais se dedicava integralmente. Incentivou a construção do Hospital da Misericórdia para onde destinou parte de seu testamento. Quando se aposentou, perdoou todas as dívidas até então não pagas lançando em seu livro-caixa, abaixo do nome de seu devedor, a seguinte inscrição : “SALDADA. Receberce-á a importância acima se o devedor procurar pagar”. A ilustração é de Edson Rontani. (Edson Rontani Júnior)

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Voluntários de Piracicaba


Foto tirada em data ignorada na Estação da Luz, capital paulista, na qual aparecem Donato Antonio Salvego, Olindo Elias e Mário Gianote. Eles saíram de Piracicaba rumo a São Paulo para engrossar o corpo de combatentes na Revolução de 1932. O levante, ocorrido de julho a outubro daquele ano, tinha por objetivo depor o presidente Getúlio Vargas e clamava uma nova constituição para o Brasil. Como legado histórico, este foi o último conflito armado ocorrido em solo nacional. (Edson Rontani Júnior)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Arethusina ou Boyes



Foto de 1915 da Fábrica de Tecidos Arethusina, fundada em 1881 e situada à margem esquerda do Rio Piracicaba, bem no centro da cidade. Produzia ao ano cerca 2 bilhões de metros de tecido. A forma da produção devia-se à três turbinas de 250 cavalos cada um, além de 2 caldeiras. Sua produção era feita com algodão nacional em rama. Todo seu tecido era consumido principalmente em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A empresa foi fundada em 1874 por Luis de Queiróz o que precisava de energia e criou a primeira usina hidrelétrica de Piracicaba fornecendo luz para a cidade em 1892. A Arethusina mudou de nome em 1912 passando a se chamar Boyes e Cia. encerrando suas atividades na década atual. (Edson Rontani Júnior)

O campo de Monteiro Lobato


Campo de perfuração montado por Monteiro Lobato em São Pedro. Lobato iniciou uma longa jornada pela qual hoje é esquecido. Lá, ele perfurou a terra na intenção de encontrar petróleo. Com a criação, em 1931 da Companhia Petróleos do Brasil, acreditava que o combustível fóssil jorraria do chão no interior paulista. Passou a perfurar no bairro de Araquá (São Pedro) e no distrito de Riacho Doce (Alagoas). Nunca encontrou petróleo. Gastou toda a riqueza acumulada com seus livros e foi perseguido como agitador social pelo governo Getúlio Vargas. Chegou a visitar Piracicaba por volta de 1907, referindo-se à cidade em carta escrita em março daquele ano, quando assumiu o cargo de promotor público em Areias, no Vale do Paraíba. (Edson Rontani Júnior)


Acima : Octalles Marcondes Ferreira, Anísio Teixeira, Lobato e Édson de Carvalho no campo de Araquá 

domingo, 15 de agosto de 2010

II Circuito Automobilístico de Piracicaba


Reprodução de peça publicitária do Campeonato Paulista de Automobilismo realizado há exatos 50 anos em Piracicaba. O II Circuito Automobilístico de Piracicaba, ocorreu nos dias 12 e 13 de março de 1960, partindo da avenida Carlos Botelho, próximo à Esalq, seguindo até a avenida Brasil, convergindo para a rua Saldanha Marinho (ainda não existia a avenida Saldanha Marinho), virando para a avenida Independência até a caixa d´agua em frente a Esalq, tendo seqüência na avenida Pádua Dias, encerrando no mesmo local do ponto de partida. Venceram a prova Maks Weiser, Jair Luiz Santiago (segundo lugar) e Walter Hahn (terceiro lugar). (Edson Rontani Júnior)

O dia em que conheci Marilyn Monroe


Foi numa tarde fria de 1981 que conheci uma loira deslumbrante. Todo seu fascínio foi tomado por uma cena clássica: ao passar pelo respiradouro de uma estação de metrô, sua saia se levantava, com isso, elevando também a libido masculina de seu parceiro. A apresentação desta loira foi feita por um respeitado programador de cinema de nome Paulo Perdigão, o qual nunca conheci, mas senti, como muitos, por sua morte em 2006.
Na verdade, Perdigão me apresentou Norma Jean mitificada pelo cinema como Marilyn Monroe, uma loira exuberante que se tornou um símbolo sexual nos anos 50. Foi através de uma das várias “Sessão da Tarde” que a conheci em “O Pecado Mora ao Lado” no qual estreou junto com Tom Ewell, um impagável comediante que infelizmente não conseguiu seu lugar no hall da fama. Foi um medíocre notável.
Termine a leitura da matéria clicando aqui
 

Manoel Martho - mestre de Piracicaba

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Orchestra Sinfônica no Teatro Santo Estevão


Registro raro de um centro cultural que não existe mais. Capa de um programa cujo original, impresso em papel jornal, media 16 por 11 centímetros. Apresentava o primeiro concerto popular da Orchestra Piracicabana, sob regência de Benedicto Dutra Teixeira, cuja apresentação ocorreria numa sexta-feira, às 21 horas, de 27 de maio de 1938. No verso, um comercial da representação Antonio Monteiro & Filhos que vendiam bebidas Dubar e Antactica/Hamburguesa. No interior, o programa da noite que traria Bizet, Bach, Rossini, Rachmaninoff, Verdi, Carlos Gomes. Veja mais informações sobre a Orquestra Sinfônica de Piracicaba clicando aqui. (Edson Rontani Júnior)


terça-feira, 10 de agosto de 2010

Frei Paulo de Sorocaba em Piracicaba

O mestre frei Paulo de Sorocaba diante de uma de suas obras feitas no Seminário Seráfico São Fidelis, situado em Piracicaba. Foto cedida pelo artista Eugênio Nardin, quando ainda vivo. Frei Paulo, em 6 de agosto de 1900 veio a Piracicaba como noviço. Passou por Taubaté e por Campos Novos de Paranapanema. De volta a São Paulo, outros freis indicam-lhe a Europa como lugar para aprimorar seus dotes artísticos. Foi para a Itália em 1912 sendo pupilo de Antonio Meyer, da Escola de Veneza. Deixou várias pinturas em solo europeu, algumas delas desaparecidas durante a Primeira Guerra Mundial. Lá estudou obras de mestres como Veronese, Tintoretto e Ticiano. Influências que o seguiram até o final da vida. Voltou a Piracicaba em 1913 ficando por dez anos. Em 1917, Frei Paulo pintou, na Igreja dos Frades, o quadro de São Francisco recebendo os estigmas. Uma obra que mede 3 por 2 metros. É uma das mais bonitas obras que existem ainda hoje. (Edson Rontani Júnior)

A beleza do COMURBA



Foto de autoria desconhecida tirada de uma solenidade cívica realizada na Praça José Bonifácio. As bandeiras eram hasteadas em mastros situados na rua Prudente de Moraes, próxima a rua Santo Antonio, onde hoje se encontra uma via para que os veículos contornem a praça. Na foto, o coronel Pedro Corlatti hasteando uma bandeira (provavelmente a nacional). Curioso é ver ao fundo, ainda em construção, um dos últimos andares do Edifício Luiz de Queiróz, mais conhecido por Comurba (Companhia de Melhoramentos Urbanos), empresa que o ergueu. O edifício ruiu em 6 de novembro de 1964. (Edson Rontani Júnior)

domingo, 8 de agosto de 2010

Monteiro Lobato em Águas de São Pedro


Segundo o advogado Antonio Falcão de Moura Andrade, filho do fundador de Águas de São Pedro, Octávio Moura Andrade, e pesquisador da história na região, existem registros de que Monteiro Lobato tenha feito pesquisas e prospecções na divisa norte do município de São Pedro com Charqueada (Xarqueada, no início do século passado), em área que hoje pertence a Águas de São Pedro compradas por Moura Andrade para implantação desta nova cidade. Porém, os passos iniciais não foram feitos por ele e sim pelo Serviço Geológico da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo, cujo governador então era Júlio Prestes e o secretário de agricultura era Fernando Costa. Lobato seguiria os passos em busca do petróleo iniciados pelo italiano Ângelo Ballone que perfurou dois poços os quais chegaram a 1.615 metros, bem além das perfurações de Lobato. Na foto, uma das torres de prospecção de petróleo em Águas de São Pedro. (Edson Rontani Jr.)

Piracicaba - 60 anos de história

Serviço bucal da Santa Casa de Misericórdia de Piracicaba


Foto tirada em setembro de 1940, na qual estão : Enéas Lemaire de Moraes, Bruno Ferraioli, Arnoldo Velho, Paulo Teixeira Mendes, João Zacharias Maia e Mário Martins; Mário Lázaro dos Santos, Osmar Soares Pinto, Coriolano Ferraz do Amaral, Ulisses Berna e Sebastião de Camargo Teixeira. Profissionais da odontologia juntos ao provedor da Santa Casa de Misericórdia de Piracicaba (Coriolano Ferraz) numa das primeiras fotografias da instituição mostrando a instalação do setor de traumas maxilo-faciais. Em 1942, Bruno Ferraioli passou a desenvolver as atividades no Gabinete de Dentista da Santa Casa. Até hoje o serviço existe. (Edson Rontani Júnior)

Simca Chambord

Slide de Piracicaba


quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Amizade é amizade ... política à parte !


“A Tribuna Piracicabana” ainda engatinhava na imprensa local quando “O Diário de Piracicaba” publicou esta charge, na segunda metade dos anos 70. A disputa pelos votos parece ser tão atual como na época, quando Arena e MDB dividam o bipartidarismo. A charge, de autoria de Edson Rontani, se referia às candidaturas de vereadores na época. Nem sempre o “par o impar” impera, muito menos nos dias atuais em que os orkuts e facebooks da vida nos adicionam a centenas de amigos, muitos virtuais. (Edson Rontani Júnior)
NOTA DO BLOGUEIRO - Acima a reprodução colorizada. Abaixo, a original, em preto e branco, utilizada por "O Diário de Piracicaba".

terça-feira, 3 de agosto de 2010

O dia em que a terra parou


Existe uma história, a qual não é desmentida por ninguém, de que a nossa “terrinha” parou por um dia. Outros dizem que isso é mentira. Pois era parou por vários dias ... Este fato completa na próxima semana seus 40 anos. Foi quando os piracicabanos aguardavam a decisão do Torneio do Acesso ao Futebol Profissional de 1967. A cidade acompanhou na expectativa as três partidas do triangular decisório. Parou também para comemorar a vitória do E. C. XV de Novembro e para receber como heróis os jogadores do alvinegro local. Toda essa festividade ocorreu em janeiro, encerrando assim as comemorações do bicentenário de fundação do município. Clique aqui para ler mais

Obrigado, Dr. Prudente de Morais !


Sob a coordenação do editor Ribeiro Magalhães, a “Gazeta de Piracicaba” (Órgão Republicano) publicava, em sua edição de 23 de novembro de 1898, homenagem de primeira capa a Prudente de Moraes ao findar seu mandato como presidente da República, sendo o primeiro civil a exercê-la, e o terceiro a ocupar o cargo desde o fim do Império Português. Prudente desfrutava de grande apoio popular ao término do mandato, quando deixou o cargo a Campos Salles, retornando a Piracicaba, onde viria a falecer quatro anos depois. A edição da “Gazeta” nº 2.522 faz parte do acervo do Museu Republicano “Convenção de Itu”. (Edson Rontani Júnior)

Esporte Clube Vila Boyes


Foto de autoria de Torello, tirada em 1963, mostrando componentes do Esporte Clube Vila Boyes. O time foi oriundo da A. A. Sucrerie e disputava a várzea do futebol local. Preciosidades como esta e de outras agremiações varzianas locais podem ser vistas até o dia 1º de agosto no SESC Piracicaba, dentro da mostra de fotos “Várzea – Esporte Bretão”. Não deixe de conferir. (Edson Rontani Júnior)

Solenidade na praça José Bonifácio - centro de Piracicaba



Registro histórico de meados dos anos 1960. Solenidade cívica realizada nos arredores da Praça José Bonifácio. Área na qual hoje situa-se o Banco Itaú (prédio à esquerda). Atiradores do TG de Piracicaba participam da solenidade num dos bolsões de estacionamento da Praça. Em 2010, a solenidade oficial em lembrança a Tiradentes, mártir da Nação Brasileira, ocorreu no Ginásio Municipal de Esportes, em espaço fechado. Como de tradição, Piracicaba sempre teve desfile pelas ruas Governador Pedro de Toledo e Boa Morte, além da avenida Armando de Salles Oliveira. Neste caso, observam-se pessoas mirando a apresentação pelas janelas de apartamentos vizinhos. (Edson Rontani Júnior)

A família do comendador Romano


Foto tirada em 28 de maio de 1967, ocasião em que se casavam Waldemar Romano (cirurgião-dentista e vereador) e Maria Ignês de Mattos Romano (funcionária da Câmara Municipal). Os convidados foram recepcionados na casa da família, situada no centro de Piracicaba. Na foto, a família Romano : Maria Azzi (ao centro) e os filhos Américo, Elza, Henrique, Pedro (Bene), Antonio, Elisa e Hélio. Atualmente, Hélio reside no bairro Cidade Alta. Henrique em Artemis. Os demais são falecidos.
A família, sob coordenação e liderança de Antonio Romano (comendador pela Santa Sé), foi proprietária da Retífica Romano S/A,  instalada à rua São José, 1122, encerrando suas atividades em 1980. Pedro Romano foi proprietário da Funilaria Bene , situada à rua Bom Jesus, 735, ainda em atividade e sendo seus proprietários aqueles que, até 1997, foram seus empregados. Elza Romano, formada pelo Instituto Educacional Sud Menucci, foi professora primária em Penápolis, Pirambóis, Distrito de Tupi (Piracicaba) e aposentou-se no Grupo Escolar Barão do Rio Branco. (Edson Rontani Jr.)

Pesos pesados dos três poderes piracicabanos.


Pesos-pesados dos poderes executivo, legislativo e judiciários em foto tirada na primeira metade da década de 1980. Nela aparecem Otávio Helene Júnior, Adalberto Felício Maluf, Antonio Benedito Maluf (então prefeito municipal) e Luis Inácio “Mugão” Sleiman. O cenário era o Estádio Barão da Serra Negra, palco de várias disputadas feitas pelo E. C. XV de Novembro que na época ainda estava na primeira divisão do futebol paulista. (Edson Rontani Júnior)

A Igreja Metodista de Piracicaba


Foto na qual aparece a Igreja Metodista de Piracicaba nas primeiras décadas do século passado, tirada do meio da praça Dr. Alfredo Cardoso. Os primeiros metodistas vieram ao Brasil em 1835, mas só tiveram se firmaram no país com o fim da Guerra Civil Americana, em 1865. O primeiro núcleo metodista foi montado em Santa Barbara D'Oeste. Junius Estaham Newman foi precursor. Ele e sua família mudaram-se para Piracicaba onde permaneceram entre 1879 e 1880, quando as filhas de Newman, Annie e Mary, organizaram um internato e externato. O "Colégio Newman" é considerado precursor do Colégio Piracicabano, instituto mantenedor da Unimep. O primeiro salão de culto de Newman foi uma pequena casa, coberta de sapé e de chão batido. Ele pregava para todos, fossem metodistas, batistas e presbiterianos. (Edson Rontani Júnior)

Sala dos animais empalhados no Museus Prudente de Morais em Piracicaba


Foto do Studio Spavieri, tirada em 1991, mostrando uma ausência sentida nos dias atuais quando se visita o Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, em Piracicaba. A sala Brasil Primitivo apresentava dezenas de animais empalhados, os quais devem ter sido retirados motivado pela conscientização ecológica atual. Desapareceu após a reabertura do local em setembro de 2009. Até antes, alguns animais estavam expostos no local onde se fica o auditório, no quintal do Museu. Na sala, o visitante podia ver objetos indígenas, como indumentárias para festas. Estavam expostas peças de tortura a escravos do Brasil imperial. (Edson Rontani Júnior)

Medo de dentista atualmente ?

Abaixo, foto de um consultório odontológico norte-americano de 1921. O ambiente lembra o atendimento ambulatorial médico de algumas empresas na atualidade. Com o passar dos anos, a odontologia deu mais conforto ao paciente . O que você me diz com relação à esta cadeira da foto e a cadeira na qual você é recebido hoje no dentista ?


Esta é outra. Consultório odontológico instalado em 1924 na cidade de Washington, capital dos Estados Unidos. O paciente ficava em frente ao aquecedor, à janela (para facilitar a vida do dentista - que, aliás, não usava luvas nem máscara !!!) e ainda contava com uma iluminação especial ... ou seria um globo de discoteca ? ou ainda um semáforo ? ou que raios é aquele lustre ?!?!



Reinações de Monteiro Lobato em Araquá



Foi na vizinha cidade de São Pedro que Lobato iniciou uma longa jornada pela qual hoje é esquecido. Lá, ele perfurou a terra na intenção de encontrar petróleo. Com a criação, em 1931 da Companhia Petróleos do Brasil, acreditava que o combustível fóssil jorraria do chão no interior paulista. Passou a perfurar no bairro de Araquá (São Pedro) e no distrito de Riacho Doce (Alagoas). Nunca encontrou petróleo. Gastou toda a riqueza acumulada com seus livros e foi perseguido como agitador social pelo governo Getúlio Vargas. Chegou a visitar Piracicaba por volta de 1907, referindo-se à cidade em carta escrita em março daquele ano, quando assumiu o cargo de promotor público em Areias, no Vale do Paraíba.Clique aqui para ler mais

Kraide Magazine


Memória da publicidade piracicabana. Comercial veiculado em 1958. Piracicaba sempre teve um comércio de renome, destacando-se a família Kraide, em especial através da Kraide Magazine, sempre em sintonia com os mais elegantes da cidade. A Kraide dividia espaço com outras empresas como Porta Larga, Elmo Magazine e Céu Cor de Rosa, segmentações do mercado ocupadas hoje por grandes hipermercados e lojas de departamento. (Edson Rontani Júnior)

Tonico e Tinoco



Tonico & Tinoco formaram a dupla sertaneja mais importante da música brasileira. Foram seis décadas de união com mais de 40 mil apresentações e 150 milhões de discos vendidos. A primeira música que tocaram juntos foi “Tristeza do Jeca” e a primeira aparição profissional ocorreu uma década depois. Os dois eram irmãos na vida real e viviam em Botucatu. Descendentes de espanhóis que aportaram no Brasil em1892, Tonico e Tinoco partiram para Sorocaba em 1937 e anos depois alcançaram as rádios da região. Chegaram a São Paulo em 1941, formando com Rielli na sanfona trio "Os Três Batutas do Sertão”, da Rádio Record. Em 1946, lançaram "Chico Mineiro", segundo a gravadora, o último disco da dupla, pois eles já haviam gravado cinco discos sem sucessos e existia sempre a reclamação dos ouvintes com relação a dupla, alegavam que não era possível entender a pronuncia deles nas letras das músicas. Tonico (João Salvador Perez), faleceu no dia 13 de agosto de 1994, após uma queda da escada do prédio onde morava. Tinoco, hoje beira os 90 anos e é o artista sertanejo há mais tempo na ativa. Na foto, a dupla durante apresentação no Ginásio Municipal Waldemar Blatkauskas, em Piracicaba, no início dos anos 70. (Edson Rontani Jr.)

Chafariz da Praça José Bonifácio em Piracicaba


Foto sem identificação de autoria, tirada no início dos anos 1970, mostrando parte da praça José Bonifácio e, ao fundo, a rua São José. A estátua mostrava, na ocasião, o exato ponto de onde partiram os pracinhas para a Revolução de 1932. Hoje, ela se encontra alguns passos atrás, retirada em 1979 pelo então prefeito João Herrmann Netto, o qual fez da praça um amplo local para passeio e lazer, realizando em 1980 os tradições “Domingões” que fizeram a infância daqueles que hoje se encontram na casa dos 40 ou 50 anos de idade. (Edson Rontani Júnior)

Francisco da Silva Caldeira

Francisco Silva Caldeira. Empresário da radiofonia piracicabana. Nos anos 50 foi gerente da Rádio Difusora. Na década seguinte adquiriu a Rádio A Voz Agrícola, pertencente à Rede Piratininga. Anos mais tarde foi transformada em Rádio Alvorada, denominação à qual permaneceu até 1998, quando teve sua programação arrendada pela Igreja Universal do Reino de Deus. Retornou como Nova Alvorada e depois Rádio Globo. Sua freqüência é hoje utilizada pela Rádio Onda Livre A.M. Conheci Caldeira no início dos anos 90 quando trabalhei nos departamentos comercial e de jornalismo da Alvorada. Foi o braço direito do casal Aristides e Maria Conceição Figueiredo, proprietários da Difusora. Homem de extraordinária fibra, se formou em contabilidade. Foi homenageado com rua situada no Parque Monte Rey. (Edson Rontani Júnior)

O marketing propagado por um tatuzinho


Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro da Cachaça apresentam um fato curioso. A Caninha Tatuzinho é uma das quatro marcas mais consumidas no mercado brasileiro de cachaça. Ela detém 7,2% do mercado, segundo estimativas para 2006 apontadas pelo Instituto, embora o consumo interno venha diminuindo num ritmo de 2 a 3% ao ano e a exportação tenha se estagnado nos últimos cinco anos. Um fator interessante a se ponderar é que a Caninha Tatuzinho, produzida em Piracicaba entre os anos 40 e a década de 70, cultiva ainda uma extensa lembrança na mente do consumidor, principalmente pela maciça divulgação feita nos anos 60. Clique aqui para ler mais

Automobilismo em Piracicaba nos anos 60


Folia no Carnaval de 1967


Carnaval de 1967. O cenário é o Clube Coronel Barbosa. Fervia de foliões naquele fevereiro quente, no qual o piracicabano ainda comemorava a vitória da Lei do Acesso pelo E. C. XV de Novembro, garantindo-lhe retorno à divisão principal do esporte paulista. No meio do salão, o mestre Cícero Correa dos Santos, fotógrafo e agitador cultural, numa época em que o termo nem era usado. Cícero fantasiava-se de Nhô Quim, em alusão a mascote do alvinegro local, e caía na folia. E ainda homenageava o comendador Humberto D’Abronzo, presidente do XV, com uma placa bem rimada. Ao seu lado, Luiz Carlos Diehl Paolieri, juiz do trabalho e diretor do XV de Piracicaba. (Edson Rontani Júnior)

Enéas Lemaire de Moraes


Enéas Lemaire de Moraes, fundador do Departamento de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Faciais da Santa Casa de Misericórdia de Piracicaba, completando seus 60 anos de existência em 2010, sendo um dos mais antigos do Brasil. Foi ele quem concretizou o sonho iniciado no final dos anos 1930 o ideal de outro cirurgião-dentista, Bruno Ferraioli, que iniciou a ocupação do Gabinete Dentário da Santa Casa de Piracicaba.
Em atividade na área primando sempre pelo uso de técnicas de ponta, respeitando o progresso científico e dedicando a população tanto carente, como previdenciária e particular de Piracicaba um atendimento diferenciado, o Departamento assiste hoje 31 municípios, sendo referência regional à todos que procuram seus préstimos.
Em 1999, o Departamento, em conjunto com a Associação Paulista dos Cirurgiões-Dentistas, iniciou gestões e instrução de processo para o credenciamento do Curso de Especialização em Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Faciais tendo a primeira turma de especialistas iniciada sua formação no ano de 2000. (Edson Rontani Júnior)

Emil Rached

Muitos que viveram os anos 70 e 80 se lembrarão dele como sendo aquele grandão que aparecia ao lado dos Trapalhões na rede Globo ou nos filmes da trupe para o cinema. Mas, Emil Rached (foto) ficou conhecido anteriormente como jogador de basquete, defendendo inclusive o time do XV de Piracicaba nos anos 60. Rached nasceu em Vera Cruz em 1943 e faleceu em outubro de 2009. Tinha 2,23 metros de altura. Ele jogou basquete profissionalmente entre 1964 e 1980. Começou no Palmeiras e defendeu também XV de Piracicaba (SP), Corinthians (SP), Botafogo (RJ), Tenis Clube Campinas (SP) e Rio Claro (SP). Participou da seleção brasileira de basquete e foi medalhista de bronze no Mundial do Uruguai (1967) e de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Cali (1971). No cinema fez “O Trapalhão nas minas do Rei Salomão” (1977), “Os Trapalhões na Guerra dos Planetas” (1978) e “As Aventuras de Mário Fofoca” (1982). (Edson Rontani Júnior)

Sala dos Revolunários de 1932 - Museu Prudente de Moraes em Piracicaba


Até os anos 80, muitos professores referenciavam aos alunos a sala da Revolução Constitucionalista abrigada pelo Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes, situado em Piracicaba. A mesma sumiu após a reforma entregue em setembro de 2009. Nesta foto, de 1991, do Studio Spavieri, vê-se a sala que tinha, entre outros itens, a relação e imagens dos pracinhas piracicabanos que combateram na Revolução de 1932. Piracicaba sempre se orgulhou por ter enviado um dos primeiros batalhões de voluntários da insurreição paulista, maioria combatendo no Vale do Paraíba. O Museu tinha ainda armas, utensílios, documentos e uma bandeira confeccionada por mulheres piracicabanas que acompanhou o batalhão que partiu da Praça José Bonifácio para a capital paulista. (Edson Rontani Júnior)