Páginas

domingo, 31 de outubro de 2010

Piracicaba bi-centenária (1967)



Capa de um compacto duplo (como eram chamados os LPs de sete polegadas) lançado pela Chantecler em 1967, ano em que Piracicaba completou 200 anos de fundação. Victorio Ângelo Cobra, o “Cobrinha”, emprestava sua voz nas músicas “Madrugada Piracicabana” (do Frei Marcelino Maria de Angatuba), “Piracicaba” (de Newton de Mello), “Murmurar da cachoeira” (de Luizinho) e “Nostalgia” (de Erothildes de Campos). São 11 minutos e 46 segundos de muita recordação e emoção diante da “Noiva da Colina”. Na contra-capa (clique na foto para ampliar), João Chiarini faz um jogo de palavras com os nomes de Sud Menucci, Thales Castanho de Andrade , Anísio Godinho e outros. Item de piracicabano colecionador amante da “terrinha”.


sábado, 30 de outubro de 2010

Daytona


Saudade de uma infância no centro de Piracicaba. Esse era o MacDonald's dos anos 70. Sumiu no início dos anos 80. O Daytona foi a primeira lanchonete a servir o tão famoso hamburger que víamos no cinema. Estava situado na esquina da rua Boa Morte esquina da rua Moraes Barros, hoje esquina ao lado do Banco Itau, em frente à Praça José Bonifácio. Foi demolido para abrigar várias instituições bancárias como o Banco Sudameris e hoje o Banco Real. Foi o ponto de encontro de muitos bon-vivants da época. Saíram daí as idéias do Salão de Humor e da Banda do Bule, entre outras convulsões culturais. Interessante era ver o carro de corrida pregado na parede. Cor vermelha, se não me engana a memória. Foto cedida pelo Fran do Frios Paulista. (Edson Rontani Júnior).

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Critério, honradez, civismo e benemerência



Voltamos às urnas neste domingo. O matutino “Gazeta de Piracicaba”, já em seu 21º ano de circulação, datado de 9 de dezembro de 1902, homenageava o presidente Prudente de Moraes que faleceria quatro dias após na cidade de Piracicaba. Prudente defendia os interesses dos cafeicultores numa nação até então administrada por militares. Critério, honradez, civismo e benemerência estampam seu semblante cujo contorno foi desenhado com pequenas letras de linotipo e seus olhos e colarinho feitos a mão, dando uma visão futurista do que a arte gráfica proporcionaria na confecção de um jornal. As quatro virtudes, aliás, precisam ser ponderadas pelo eleitor no pleito deste final de semana. Boa votação ! (Edson Rontani Júnior)

domingo, 24 de outubro de 2010


Tive a felicidade de freqüentar os primeiro e segundo anos do primário na Escola Estadual Barão do Rio Branco, no início dos anos 1970. Na época, a disciplina Educação Moral e Cívica, instituída durante o regime militar, nos obrigava a saber na ponta da língua o Hino Nacional e quem era José Maria da Silva Paranhos Júnior, o barão do Rio Branco, deputado, jornalista e ministro das relações exteriores por três governos. Mas foi como diplomata que entrou para a história. A foto, cedida pela escritora Ivana Maria de Negri França, foi tirada no pátio da escola num período não identificado, mostrando um grupo exclusivamente de meninos. O rigor e a disciplina faziam parte do cotidiano escolar : sapatos, meias quase até os joelhos, gravatas ... O Grupo Barão iniciou suas atividades em 13 de maio de 1897, inicialmente como Grupo Escolar de Piracicaba recebendo a denominação de “Barão” em 1907. O prédio foi tombado pelo Estado de São Paulo em 2008 e passou por reforma que o remeteu à sua arquitetura original. (Edson Rontani Júnior)

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Você sabe fazer download pelo Rapidshare ?

Dias atrás postei duas mensagens no blog através dos quais você precisa acessar o site Rapidshare (www.rapidshare.com) para baixar seus conteúdos. Se você não sabe como fazer bastar clicar no link e, na próxima tela aperta o botão SLOW DOWNLOAD, na foto abaixo, à direita dentro de um círculo. Esse é o modo de fazer download gratuito no Rapidshare.


Para você curtir o conteúdo acesse essas duas postagens :

Documento do Legislativo Piracicabano de 1888


Documento da Câmara de Vereadores de Piracicaba de 7 de janeiro de 1888, pertencente à Assembléia Legislativa de São Paulo. Entre os signatários está o Barão de Rezende, num ofício quase ilegível pela caligrafia utilizada na época.

sábado, 16 de outubro de 2010

A foliã no carnaval


Foto cedida pela escritora Ivana de Negri, mostrando uma foliã de meados do século passado posando para a posteridade ao lado de dois grandes maços da Serpentina Primor. Piracicaba teve grandes eventos carnavalescos ao longo do século XX. Foram bailes em clubes, desfiles em avenidas além de gincanas em rádios e festividades na qual o lança-perfume era apenas um adereço para a vida romântica (leia-se nostálgica). Da foliã, pouco se sabe, mas encarnava uma jardineira com um sorriso maroto, isso ninguém pode negar. (Edson Rontani Júnior)

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Diploma de Direito - Prudente de Moraes


“Em nome, sob os auspícios do muito alto e muito poderoso príncipe, o senhor Dom Pedro II, Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil”, o diploma acima foi conferido, em 1863, a Prudente de Moraes, que, então graduava-se em direito. O primeiro presidente civil do Brasil morreu em Piracicaba em dia 3 de dezembro de 1902. Graduou-se em direito na Faculdade de Direito de São Paulo e transferiu-se para Piracicaba, onde exerceu advocacia durante dois anos, e, em 1865, começou sua carreira política. (Edson Rontani Júnior)

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Epopéia do Futebol Quinzista - 1967 - Parte 1



Piracicaba teve uma grata satisfação ao ver o seu Esporte Clube XV de Novembro vencer a "Lei do Acesso" de 1967 e, com isso retornando à elite do futebol paulista, na qual seria vice-campeão em 1976 abaixo apenas do Palmeiras. A volta à divisão principal do futebol gerou a gravação do LP "Epopéia do Futebol Quinzista", com locução de Cláudio Orsi e reprodução da narração de jogos por Jamil Netto e Ulisseys Michi. A gravação ainda trazia músicas como "A Garra é Sua - A Guerra é Nossa" e "Estamos de Moringa Fresca", ambas de Anuar Kraide e Jorge Chaddad, além de "Avante Torcida Quinzista" com Misael de Oliveira e Pedro Alexandrino" e o conjunto The Youngs, com o Coral Saltinhense sob a direção da professora Vera Furlan. 
Na capa (clique para ampliar) o presidente do XV, comendador Humberto D'Abronzo e o prefeito comendador Luciano Guidotti, além de fotos da equipe técnica e jogadores da conquista.


Para ouvir o lado um do LP, clique aqui