Páginas

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Ontem ao Luar - Pedro Alexandrino


A Fermata lançou em 1984 o LP "Ontem ao Luar - Uma Nívea Lágrima", com músicas de Pedro Alexandrino. As músicas podem ser conhecidas na foto abaixo. Clique nela para ampliar

A capa era do Henrique Spavieri. Bela por sinal.


Na contra-capa, Leandro Guerrini escreveu :
"A seresta está na praça. Com honra e galas ! Está na praça, na voz do cancioneiro Pedro Alexandrino, que acaba de gravar pela 'FERMATA", o seu 2°. LP de músicas românticas.
Trata-se de um festejado seresteiro, fina sensibilidade, que modula com segurança e proveito, que sabe dispor de seu talento. Pertence aquela categoria chamada de serenatistas, singelamente, sem arroubos assanhados, que arrancam do peito endexas filigranadas, enquanto  o violão soluça o acompanhamento. São aqueles cantores que sentem a verdadeira alma do povo, solfejando o que lhes vai no íntimo. Legítimos, sem a imposição de terceiros, da influência que vem de fora.
Pedro Alexandrino canta, atendendo ao imperativo interior, e se acompanha ao vilão com agrado. Conhece a seara dos aplausos. Possui um bom fio de voz, não tonitroante de tenores líricos, mas melodiosa e constante, bem empostada. Voz de  nítido serenatista, um gemido na garaganta, um lamento a derramar-se em notas, que a gente ouve com redobrado prazer, esquecendo as horas que correm.
Temos para nós, que a modinha ainda continua a ser, a expressão mais acrisolada do sentimento popular. Por que tem trilha repousante, sem ser agressiva, busca as fibras profundas. É sincera na candura da essência - uns acordes bem cadenciados, tangendo sonhos, sem arreganhos da estranja - aquela caipirinha de Monteiro Lobato, pés descalços, esbanjando quimeras.
Não que a gente seja contra a evolução. Claro. A canção, na constância dos costumes, deve evoluir, deve procurar novas formas, roupagens que se afinem com os minutos do presente. Todavia, quer queiram, quer não, o romantismo continua a ser ainda, a flor que suavisa as horas mortas. Noite adentroi, anima-se a serenata, deliciosa, cheia de pretestos sonoros, de encantamentos perfeitos.
Nesse seu 2° LP, o cantor Pedro Alexandrino selecionou peças de inteiro agrado, pois estão na preferência sentimental do artista. Bons instrumentistas fazem 'fundo' às canções, de forma a satisfazer de modo geral. O trabalho técnico é da Gravadora Fermata, o que representar fator de êxito.
Sem receio de errar, achamos que o presente disco, vai ser ótimamente recebido. Talvez não contente à ala inovadora, mas satisfará totalmente o grupo de conservadores. A modinha é de contexto suave, envolta de brandura, a saudade presente.
Assim sendo, recomendamos este LP de Pedro Alexandrino, às pessoas que recebem sem caretas, os recados dos dias idos, na expressão da modinha brasileira. Um tesouro a mais na discoteca do colecionador. É por esta razão, que abrimos esta croniqueta com o alerta carinhoso, afirmando naturalmente, que a seresta está na praça."

sábado, 27 de novembro de 2010

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Atiradores e o TG 02-028


O Tiro de Guerra 02-028, situado em Piracicaba, completa em 2010 seus 65 anos de atividades. Braço do Exército Brasileiro na cidade, formou milhares de jovens no serviço militar e estreirou a amizade de muitos. Dados oficiais demonstram que 20 mil homens receberam o título de reservista na cidade. Os Tiros de Guerra surgiram em 1902 em Rio Grande, no Rio Grande do Sul, quando surgiu uma sociedade de tiro ao alvo com finalidades militares. Com o apoio das prefeituras, tem um papel essencial na formação de reservistas. O objetivo dos TG é formar reservistas de 2ª categoria aptos ao desempenho de tarefas no contexto da Defesa Territorial e Defesa Civil. Dos TGs surgem longas amizades, como a presenciada no domingo passado durante a missa das 11 horas na Igreja do Frades, organizada por atiradores das turmas de 1986 e 1990 que trouxeram a cidade, após quase 20 anos, a pessoa do sargento Rizatto (hoje tenente reformado), um dos instrutores do TG 02-028 na segunda metade dos anos 80. Na foto, os atiradores, muitos se reencontrando após quase 25 anos.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Adeus, Cridão !


Tem gente que admiramos mesmo sem conhecer pessoalmente. Euclides Buzzeto para mim foi aquela pessoa cujo nome soava em nossos ouvidos lá pelos idos de 1975 quando estudei no Colégio Barão do Rio Branco. Professor em escola pública numa época em que o respeito ao mestre era tudo, o professor Cridão tinha o carisma de poucos. Lançou-se à carreira pública elegendo-se vereador. Nos deixou no último domigo. Fica agora a memória de uma pessoa cuja índole é eterna, num legado inigualável nos dias atuais em que o egocentrismo é palavra de ordem. Valeu, Cridão !

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Os 97 anos do E. C. XV de Novembro de Piracicaba




Da união de dois times, surgiu o Esporte Clube XV de Novembro que completa seus 97 anos de fundação na próxima segunda-feira, dia 15 de novembro de 2010. Fusão do União do Vergueirense e 12 de Outubro, o XV se prepara para uma bela campanha por seu centenário marcado em 2013. Existem controvérsias com relação à data oficial de sua formação, mas o dia da Proclamação da República entrou para a história dos torcedores do alvinegro piracicabano. Seu mascote, “Nhô Quim”, foi personalizado na imprensa local de 1952 a 1997, embora tenha sido criado em 1948. Nesta reprodução (original abaixo / colorizado acima), feita na primeira metade da década passada, o “Nhô Quim”, na pena de Edson Rontani, em charge originalmente publicada em “O Diário de Piracicaba”, tenta fortalecer seu esquálido corpo para iniciar o Campeonato Brasileiro, feito que esperamos em poucos anos voltar a torcer. (Edson Rontani Júnior)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

A Platéa


Reprodução da capa do jornal "A Platéia" de 1889, na qual aparece o grande entusiasta Prudente de Moraes, vereador por Piracicaba, governador do Estado de São Paulo e primeiro presidente civil do Brasil.

domingo, 7 de novembro de 2010

Thame é nosso



“Um homem simples e amigos de todos. Thame é um homem de fibra, é gente nossa e vai ganhar a eleição”. Trecho da canção “Thame é Nosso” escrita e interpretada por Chicoca junto à Orquestra Scorpius em compacto simples lançado no ano de 1986, quando Antonio Carlos de Mendes Thame buscava iniciar carreira política, após ter perdido o pleito para prefeito de Piracicaba diante de Adilson Benedito Maluf em 1983. A foto que estampa esta postagem mostra a capa deste pequeno LP promocional para sua campanha. Numa época pré-computadores, os títulos foram desenhados por Edson Rontani. Thame quando iniciou carreira política já era um conhecido professor no Colégio Luis de Queiroz e da ESALQ, além de ser advogado e engenheiro agrônomo. Foi exatamente em 1986 que ele iniciou carreira como deputado federal se reelegendo em 1991, 1999, 2003 depois em 2007 e agora em 2010. Foi prefeito de Piracicaba de 1993 a 1996. (Edson Rontani Júnior)


quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Mauro Pereira Vianna


O mestre Mauro Pereira Vianna gravou, em 1978, pelos Discos Continental, um compacto simples no qual emprestou sua voz à duas mensagens intituladas "Dia das Mães" e "Saudação à Aurora". Item de colecionador da terrinha ... Boa recordação de um marketing fraternal e com um sentimento que ainda emociona, numa época em que as boas coisas eram feitas com dedicação e amor. (Edson Rontani Júnior)