Páginas

sábado, 24 de março de 2012

Central Telefônica



A telefonia brasileira engatinhava a passos curtos nos anos 1990, quando o ministro das comunicações Sérgio Motta tornava-se um visionário. Pouco antes de morrer, em 1998, ele já previa que o celular poderia ser vendido em supermercados e o usuário poderia utilizar-se de seu serviço instantaneamente. Até então, quem queria um celular tinha apenas os serviços oferecidos pela Telesp que solicitava inscrições e depois sorteava uma certa quantidade de linhas, atendendo pequena parcela da demanda. O cenário mudou e até então, era comum em cidades da região, como Saltinho, uma central telefônica manualmente operada por uma telefonista. Era sua função atender e passar a linha para outro telefone através de "jumps" como estes utilizados nos fones de ouvido de aparelhos de celular e MP3, porém, um pouco maiores. A foto acima foi tirada no Museu da Santa Casa de Piracicaba e mostra a central telefônica utilizada por muitas décadas do século passado. O equipamento lembra um órgão de música e os modelos atuais cabem quase na palma da mão de uma telefonista. (Edson Rontani Jr.)

domingo, 18 de março de 2012

Avenida Carlos Mauro - Águas de São Pedro


Foto do acervo da família Moura Andrade, a qual mostra a instalação de tubulações no córrego que cortava a cdade de Águas de São Pedro, local onde hoje encontra-se a avenida Carlos Mauro, a principal da cidade, cercada de hotéis, restaurantes e comércio em geral. O serviço foi feito manualmente, inclusive com o esgotamento das várzeas para a construção da canalização. A avenida foi construída para ter ao seu término o Grande Hotel São Pedro. O canal de água seria submerso, embaixo da pista viária, como existe no córrego do Itapeva, situado sob a avenida Armando de Salles Oliveira em Piracicaba. Porém, devido às chuvas e ao grande volume de água, as ruas acabaram alagadas, o que obrigou que o canal fosse aberto, como predomina ainda hoje. Veja mais clicando aqui. (Edson Rontani Jr.)

quinta-feira, 15 de março de 2012

Bondes sobreviventes

Piracicaba possui dois bondes sobreviventes ao tempo. Eles circularam na cidade até 1969, quando foi extinto este sistema de transporte coletivo. Eles podem ser vistos nos locais que seguem abaixo.

Local : Parque do Engenho Central
Bonde aberto com 10 bancos, bidirecional, de truque simples, bitola de 1,00 m e coletor de corrente tipo lira. Possuía provavelmente o prefixo 3. Operou na cidade até 1969.

Local : Escola Agrícola Luiz de Queiroz
Bonde aberto de fabricação norte-americana J.G. Brill, de prefixo original 4, bidirecional com 9 bancos, de truque simples de bitola de 1,00 m e coletor de corrente tipo lira. Possui reboque não motorizado, também de truque simples, 9 bancos e prefixo original 1. Trafegou na cidade até 1969.

sábado, 10 de março de 2012

Bondes em Piracicaba

   O sistema de bondes em Piracicaba foi inaugurado em 1916 e encerrado em 1969.

   Segundo o Departamento Nacional de Estatística, 1993, e o IBGE, Anuário Estatístico do Brasil, 1945, a evolução do número de passageiros transportados por bones em Piracicaba assim estava configurada
   1930 - 707 mil passagens
   1931 - 951 mil passagens
   1932 - 918 mil passagens
   1945 - 2 milhões 997 mil passagens

   A história dos bondes, assim se resume

   1890 - Em 17 de outubro, foi concedido pelo governo do Estado de São Paulo privilégio, por 50 anos, a Luís Vicente de Sousa Queirós para a construção de uma linha de bondes, por tração animal ou a vapor ligando Piracicaba a Limeira.
   1915 - Aprovação dos contratos de concessão para exploração do serviço de bondes por 30 anos
   1916 - No dia 15 de janeiro, inauguração da primeira linha de bonde elétrico
   1921 - Inauguração do ramal entre a Estação Ferroviária da Sorocabana e a Vila Rezende, atravessando o Rio Piracicaba
   1930 - O sistema possuía 7 quilômetroces, incluso desvios e linhas duplas e três bondes elétricos, transportando passageiros que adquiriram 707 mil bilhetes

quinta-feira, 8 de março de 2012


Antonio Carlos Silva, Barjas Negri, Roberto Moraes, Wilson Trindade e José Machado eram os candidatos à prefeito de Piracicaba em 2004, ano em que foi tirada esta fotografia. Os cinco "prefeituráveis" se encontraram para um debate na recém-inaugurada Faculdade Salesiana Dom Bosco, para discutir com a comunidade acadêmica as metas de trabalho junto ao executivo municipal. O pleito seria vencido por Barjas Negri, ex-ministro da saúde no governo Fernando Henrique Cardoso. O encontro foi realizado dia 1° de setembro. (Edson Rontani Júnior)

domingo, 4 de março de 2012

São Paulo 6 X 0 XV de Piracicaba na Rua Javari em 1948


Autor: Kaue Freitas
Fonte: Site Oficial SPFC 

São Paulo e XV de Piracicaba, adversários da noite deste domingo, no interior paulista, já se enfrentaram 81 vezes. E o segundo jogo deste duelo aconteceu em um amistoso realizado na Rua Javari, em 1948. Na oportunidade, o Tricolor deu show e não deu chances para o rival.

Comandado pelo técnico Vicente Feola, o São Paulo atropelou o XV de Piracicaba e venceu por 6 a 0. O ex-atacante Yeso foi um dos grandes destaques do triunfo são-paulino e fez três gols. China, seu companheiro no sistema ofensivo, não deixou por menos e foi às redes duas vezes.

Além da dupla, Neca deixou sua marca e completou a goleada são-paulino. Naquele jogo, Vicente Feola escalou o Tricolor Paulista da seguinte maneira: Gijo (Fernando); Savério e Armando Renganeschi; Ruy (Armando), Bauer e Noronha (Jacó); Ferrari, Neca (Remo), China, Yeso e Leopoldo.

SÃO PAULO 6 X 0 XV DE PIRACICABA

Local: Rua Javari, São Paulo (SP)
Data: 15/2/1948 (Amistoso nacional)
Árbitro: Árbitro: Amleto Ricciarelli

GOLS DO TRICOLOR: Yeso (3), China (2) e Neca

SÃO PAULO: Gijo (Fernando); Savério e Armando Renganeschi; Ruy (Armando), Bauer e Noronha (Jacó); Ferrari, Neca (Remo), China, Yeso e Leopoldo. Técnico: Vicente Feola.

XV DE PIRACICABA: Bertolucci; Idiate e Renzi; Cardoso, Strauss e Adolfinho; Cardeal, Sato, De Maria, Gatão e Henrique.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Vosso Pão - anos 60


Foto tirada de um ângulo curioso e enigmático. Possivelmente anos 60. E, possivelmente, foi tirada do alto do edifício Comurba, que ruiu há quase 50 anos atrás. Nesta foto vê-se a padaria Vosso Pão situada na esquina da rua Prudente de Moraes esquina com a rua Santo Antonio, ladeada pela AVA, viação de Americana. A Padaria Vosso Pão cedeu espaço para o edifício Canadá, construído no início dos anos 1980. Atrás, imponente na foto, o edifício Luciano Guidotti, situado na esquina da Governador Pedro de Toledo com a 13 de maio. Saudade de uma época em que Piracicaba não era tão "edificada" no sentido de ter tantos prédios como hoje. (Edson Rontani Jr.)