Páginas

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Escolas, igrejas e ruas são os temas dos livros do Ipplap

   O Ipplap (Instituto de Pesquisas e Planejamento de Piracicaba) lançou em dezembro os dois primeiros volumes da série Patrimônio Cultural de Piracicaba: Escolas (vol. 1) e Igrejas (vol. 2). A ideia para a criação da série foi do prefeito Barjas Negri. Os livros buscam apresentar um breve histórico sobre a cidade nos diversos setores. Os dois primeiros livros resgatam ao leitor os primórdios da educação, religiosidade e o volume independente traz fotos antigas de ruas e avenidas de Piracicaba. O prefácio é do prefeito Barjas Negri. 

ESCOLAS - Até a instituição do regime republicano, Piracicaba oferecia poucas possibilidades de ensino para a população, levando os filhos das famílias mais bem posicionadas socialmente a procurar escolas em Itu ou São Paulo. Iniciativas particulares foram comuns na cidade, principalmente para suprir aquela carência inicial. Professores formados na capital, ou mesmo fora do Brasil, abriam suas casas para receber os alunos, ou eram contratados como tutores. O incremento populacional obrigou o Estado a espalhar escolas por toda a cidade, em atenção às reivindicações da população. E quem não se lembra da sua primeira escola, da primeira professora, do barulho da criançada no recreio, das brincadeiras com os colegas, das crianças enfileiradas no pátio para cantar o Hino Nacional assistindo ao hasteamento da Bandeira? O Departamento de Patrimônio Histórico do Ipplap revirou o fundo do baú, memórias e fotos de algumas das mais tradicionais instituições escolares de Piracicaba.

IGREJAS - A religiosidade e a fé acompanharam o desbravamento do território brasileiro. Em Piracicaba não foi diferente. Poucos anos após a instituição da Povoação, já havia a determinação da construção de uma capela para os ofícios religiosos e também para o enterro dos católicos na margem direita do Rio Piracicaba, local que atualmente se encontra no parque do engenho Central, berço da cidade. Quando a transferência da povoação para a margem esquerda, o local escolhido para a esplanada na nova matriz determinou a urbanização de Piracicaba. A partir da localização das atuais praças da Catedral e José Bonifácio, foi determinado o traçado urbano, com as ruas perpendiculares e paralelas ao local, onde também se instalou a Câmara Municipal. Com a proibição do regime escravocrata e o consequente crescimento da imigração europeia, povos que professavam religiões não católicas passaram a se instalar em Piracicaba, trazendo consigo suas crenças e fé religiosa, além de novas casas de culto. A liberdade religiosa conquistada após a separação entre o Estado e a Igreja Católica permitiu o livre arbítrio da população piracicabana, oriunda de várias partes do mundo.

RUAS ANTIGAS - A configuração urbana de Piracicaba ocorreu após a delimitação e delineamento das primeiras ruas centrais, com orientação do senador Vergueiro e execução do Alferes José Caetano. A partir da esplanada, onde seria construída a Matriz de Santo Antonio, foram traçadas as ruas paralelas e perpendiculares que definiriam a malha urbana da cidade a partir de sua expansão além dos limites geográficos mais significativos, como o Córrego Itapeva e o Rio Piracicaba. “Pelas Ruas da Antiga Piracicaba” traz uma seleção de velhas fotografias das mais antigas vias da cidade, pelas quais podemos percorrer os caminhos da memória.

Fonte: GAZETA DE PIRACICABA

Salão de Humor de Piracicaba vira internacional!

18 de agosto de 1978. O jornal "O Estado de São Paulo" anuncia que o Salão de Humor de Piracicaba viraria internacional em sua sexta edição. A abertura se daria em 3 de setembro daquele ano no Teatro Municipal contando com um juri composto por Laerte, Angeli, Glauco e outros. Confira reprodução da matéria em melhor resolução, clicando aqui.

sábado, 29 de dezembro de 2012

Inundação do Rio Piracicaba




Foto aérea tirada na primeira metade dos anos de 1960, no bairro Itaperu, Piracicaba. Para localizar-se melhor basta notar que na parte superior à direita está o Nauti Clube Bela Vista, situado próximo ao Parque Piracicaba (BALBO). Não há maiores detalhes sobre quem tirou a foto, sua data ... Nota-se que o Rio Piracicaba transbordou de forma que inundou as áreas que os ladeiam. As margens naturais podem ser observadas pelas árvores nas duas margens. (Edson Rontani Júnior)

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Tradição de 102 anos


Publicidade veiculada em revista local nos anos de 1950 mostrando a tradição da Caninha Tatuzinho, que tem hoje seus 102 anos de presença no mercado.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Os Três Garimpeiros



A atriz Luana Marcial aparece neste foto tirada em 1954 às margens do Rio Piracicaba. Ela esteve na cidade para filmar “Os Três Garimpeiros”, produção cinematográfica da Fama Film e da Produtores Independentes Ltda. dirigida pelo italiano Gianni Pons. A foto cedida por Gregório Marchiori que a guarda a sete chaves. O próprio Marchiori participou como coadjuvante da obra que poucos têm, poucos a assistiram e que se tornou popular em Piracicaba por possuir cenas filmadas no Engenho Central, Monte Alegre, Chácara Nazareth e outras regiões da cidade. No elenco, Alberto Ruschel, Milton Ribeiro, Adoniran Barbosa (estes três presentes também em “O Cangaceiro”, rodado um ano antes), Aurora Duarte e Hélio Souto. (Edson Rontani Júnior).

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

O registro para a eternidade


Foi-se o tempo de registrar para a posteridade aquele momento, aquele instante que proporcionou o nome de "instantâneo", fotografia, foto ou retrato. Isso rendeu muitas criações para o ser humano, criou lembranças eternizadas e fez para muitos profissionais o ganhã-pão diário. A profissão de fotógrafo era é das mais luxuosas no final do século 19. Acima foto da Kodak brasileira. Leia mais sobre o álbum de retrato clicando aqui.

Vídeo - O Tem Paulista


Video recuperado pelo Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba mostrando as estações de trem do Estado de São Paulo

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

4° Salão de Humor de Piracicaba em discussão

O jornal "O Estado de São Paulo" fala dos investimentos para a arte na matéria intitulada FUNARTE LIBERA UM MILHÃO DE CRUZEIROS PARA A XIV BIENAL. A edição é de 23 de julho de 1977. Nela, havia apoio da Associação dos Jornalistas. Leia a matéria em melhor resolução, clicando aqui.


sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Revolucionários

Fotos da Travessa situada entre o prédio da Câmara de Vereadores e o prédio do antigo Fórum de Piracicaba, vendo-se, acima a Igreja São Benedito. Este pequeno trecho situa-se entre as ruas Alferes José Caetano e Rosário, tendo acesso pela rua Prudente de Moraes. Chama-se TRAVESSA REVOLUCIONÁRIOS DE 1842, um dos primeiros levantes do país para acabar com a monarquia e instituir-se no país da República. Não deu certo, como bem a história conta. 
Guilherme Vitti em "Manual de História Piracicabana", de 1967, diz que, em 1842, quando Piracicaba ainda era denominada de Vila Nova da Constituição, uma "cavalhada numerosa" invadiu o largo da Matriz e seus membros procuraram o prédio da Câmara Municipal destituindo os donos dos poderes e as autoridades locais. Eis que repica o sino chamando a população da cidade para que soubessem que a mesma estaria sobre o comando do Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar, que então revoltara-se contra o Governo da Província. Quem se recusava a deixar o cargo político ou de autoridade, era mandado à cadeia. Do jeito que a horda revoltosa surgiu, também desapareceu. A ocupação durou um mês. Os revoltosos partiram para a vila de Campinas onde o governo federal defendeu com armas o grupo que pregava o ideal republicano. A Guarda Municipal ficou com as sobras de armas e munições sem utilidade, uma vez que as melhores foram levadas pelo galopantes. 

Título da postagem


Publicidade da piracicabana TATUZINHO veiculada no "Estado de São Paulo", em 12 de junho de 1966.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Algo acontece na Governador com São José ...

Rua Governador Pedro de Toledo esquina com a Rua São José. Lá pelos idos dos anos de 1960. Do lado esquerdo a Guidotti e Cia., concessionária de veículos famosa em Piracicaba. Hoje abriga a Struk Presentes. Do lado direito, um restaurante. Ao fundo, o Edifício Luciano Guidoti, situado na esquina da Governador com a Rua 13 de Maioi.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

General Figueiredo fala do Salão de Humor de Piracicaba


Repórter de "O Estado de São Paulo" cutuca o candidato General Figueiredo sobre a abertura. "O humorista Henfil, disse, no 5°. Salão Internacional de Humor de Piracicaba, que o presidente Geisel concedeu liberdade de imprensa para que o senhor fosse popularizado". A resposta você pode ler acessando a página aqui.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Contribuição do sr. Elias Jorge



Foto de 17 de março de 1959 cedida pelo gentil Elias Jorge. Recepção ao Dr. Marcio Ribeiro Porto, Secretário de Estudo do Governo de São Paulo, que compareceu para a formatura do Conservatório Dramático e Musical de Piracicaba. Da esquerda para a direita: Dr. Lacerda Cardim, Elias Jorge, Rozany Martins de Barros Jorge diretores do conservatório, Dr. Marcio Porto, Luciano Guidotti prefeito de Piracicaba. Na parte de traz Dr. Jacob Dihel Netto e dep. Valentim do Amaral (encoberto).

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Álbum de retratos


O jornal "O Estado de São Paulo" lançou o blog ÁLBUM DE RETRATOS que traz uma série de fotografias antigas, como a que se encontra acima, tirada em Santos, numa época em que os trajes sumários... eram sumários mesmos !!! Homem deveria cobrir parcialmente seu tórax. É um registro interessante pois as imagens são cedidas por pessoas comuns, de seus álbuns particulares. O mais interessante é ler as declarações de que enviou as fotos. O blog é coordenado por Luciana Garbin e João Emilio Gerodetti. Luciana Garbin é editora dos cadernos Cidades e Metrópole do Estadão. João Emilio Gerodetti é engenheiro e colecionador de fotografias e postais antigos. Acesse pelo endereço http://blogs.estadao.com.br/album-de-retratos/

domingo, 2 de dezembro de 2012

Cemitério da Saudade - o início




Talvez o Cemitério da Saudade tenha surgido aqui. São alguns do primeiros túmulos que tem-se notícia. Datam da segunda metade do século 19, com datas dos enterros ocorridas por volta de 1880.