Páginas

domingo, 30 de setembro de 2012

TV Piracicaba: a primeira emissora do interior paulista

* por Marcelo Bandeira

   Você sabia que Piracicaba foi uma das cidades que possuiu a primeira emissora de televisão do interior do
Estado de São Paulo? O pioneirismo se deu em 1953, quando a família Guidotti, por intermédio de João, José, Rubens e Ronald, adquiriu a concessão do canal 26 UHF, três anos após a inauguração da TV Difusora de São Paulo (PRF-3), ou simplesmente, TV Tupi, em 18 de setembro de 1950. O estúdio foi montado na rua São José, 835, e a torre de transmissão erguida na rua Fernando Lopes, no bairro Pauliceia, onde funcionou por muito tempo a torre de transmissão da rádio A Voz Agrícola do Brasil AM (580 KHz), hoje Rádio Onda Livre AM (910 KHz). Esse local foi sede, também, da Rádio Alvorada FM (97,1 MHz), inaugurada em 1982, hoje Rádio 97 FM, emissora de frequência modulada arrendada à Igreja Universal  do Reino de Deus. Na década de 1990 essa torre de transmissão, que abrigou o sistema irradiante de emissoras de rádio e TV, foi desmontada para dar lugar ao TV Piracicaba: a primeira
emissora do interior paulista na rua Prudente de Morais,residencial Guaracy, um conjunto de prédios construído no local.
   Mas, voltando para a televisão, a TV Piracicaba - canal 26, apresentava na sua grade de programação, seriados e filmes do famoso canal 07 (TV Record de São Paulo). Os saudosos locutores Ary Pedroso e Rubens Lemaire de Moraes eram os apresentadores de algumas das atrações veiculadas, além da participação do também radialista Idalício Castelani, que posteriormente viria a apresentar, na Difusora FM
( 1 0 2 , 3 MHz), os inesquecíveis programas "Porque Hoje é Domingo" e "Sertanejo Cinco Estrelas". Integraram a equipe: Ariovaldo Albuquerque e Arildo José como camera-man, João Guardia, Eduardo Paparotto Filho e Silvio Takara na função de técnico de manutenção, além de outros nomes da imprensa e dos meios de comunicação.
   Os jogos do XV de Novembro e os bailes do Clube Coronel Barbosa, à época os mais requintados da cidade, também eram destaques na telinha do canal 26. A queda do edifício Comurba, ocorrida em 1964, na Praça José Bonifácio, foi alvo de cobertura da TV Piracicaba, que operava das 13h30 às 17h e, à noite, das 22h às 2h.
   A primeira emissora de televisão piracicabana funcionou de 1953 a 1972, porém o custo de manutenção dos transformadores e transmissores era alto e não havia patrocinadores interessados em anunciar, muito menos um departamento comercial formado. Os profissionais que se dedicavam à emissora trabalhavam
de graça, ou quando não, pagavam para estar na TV. Diante dos problemas financeiros e a falta de apoiadores, a família Guidotti decidiu encerrar as transmissões, na década de 1970, deixando um vazio em Piracicaba.
   TV Câmara, assim como a TV Piracicaba foi a pioneira no município, a TV Câmara poderá ser a primeira emissora, com sede e outorga de Piracicaba, a transmitir no sistema digital. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) autorizou, este ano, para o  município a concessão de TV para a Câmara de Vereadores, que integrará a Rede Legislativa de Televisão. Atualmente, a única emissora de Piracicaba que transmite em sinal aberto é a TV Beira Rio - canal 26 UHF, coincidência ou não, foi a mesma freqüência
utilizada pela televisão da família Guidotti. As demais TVs, consideradas de porte médio, sintonizadas na cidade, são concessões autorizadas para Limeira, Araras e Rio Claro.
   Uma empresa de Araçatuba  (SP) foi contratada para gerenciar a instalação e montagem da central técnica e transmissores da TV Câmara de Piracicaba. A emissora deverá entrar no ar até o final do ano e funcionará na frequência 60.4 digital. Atualmente a TV Câmara é sintonizada no canal 08 a cabo.

Marcelo Bandeira é jornalista e apresentador da TV Câmara (matéria publicada em setembro no Jornal A Tribuna Piracicabana)

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Torcida no Estádio Dr. Kok



Foto do mestre Idálio Filetti, provavelmente dos anos 1940. Mostra a torcida do Estádio Dr. Kok. Interessante é saber que o estádio surgiu por intercessão de alguns desportistas, sendo a maioria deles funcionários do Engenho Central, que solicitaram emprestado terreno situado na av. Dona Francisca, através de seu proprietário Dr. Holger Jensen Kok, então diretor superintendente da Societé de Sucreries Bresiliennes – Engenho Central. No início do século passado, locou a área por valor ínfimo, para que pudessem construir um campo de futebol. Em 8 de fevereiro de 1914, criou-se a Associação Atlética Sucrerie, hoje Clube Atlético Piracicabano. Uma campanha destinada a arrecadar fundos para a compra da área do estádio, foi desencadeada pelo Sr. Lázaro Pinto Sampaio, que contatou fornecedores, industriais, comerciantes, proprietários de engenhos, usineiros etc, além de contribuições dos funcionários da empresa Dedini S/A, a fim de buscar as verbas necessárias para a compra do referido terreno. Assim foi possível a efetivação da aquisição da área que foi denominada ESTÁDIO DR. KOK, em homenagem à memória do nobre ilustra patriarca, no dia 5 de agosto de 1941. (Edson Rontani Júnior)

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Gumercindo Duarte


   Piracicaba acaba de perder um dos últimos pintores acadêmicos, Gumercindo Lourdes Duarte. Há pouco tempo, Piracicaba perdeu dois outros grandes artistas: Álvaro Paulo Sêga e Olavo Ferreira da Silva.
   Gumercindo Duarte foi um dos maiores letristas e decoradores da cidade. Não tinha igual. Muitas mansões de Piracicaba têm os seus decorativos.
   Formado em pintura pela escola Profissional de Rio Claro, aqui em Piracicaba se aperfeiçoou com um grande mestre. Além de grande letrista, dedicava-se também à pintura a óleo, tendo alcançado a celebridade e fama como seria de se desejar. Foi um grande artista, com uma visão extraordinária das coisas, um raro sentimento de beleza e uma interpretação do meio piracicabano como ninguém picturalmente revelou ainda com tamanha pujança.
   Há um estilo brasileiro inequívoco em seus quadros de profundeza que nenhum grande artista estrangeiro conseguiria traduzir. Esta influência da terra, certamente inconsciente, manifestou-se pelo seu amor à nossa cidade, modificou completamente o seu colorido, tornando-o mais claro, mais brilhante, mais solar.
   Dentre ao inúmeros prêmios que Gumercindo Duarte conquistou, destacamos: Prêmio “Adelino Marrucci”, 1º Premio, em 1978 do Salão de Belas Artes de Piracicaba; Prêmio Prefeitura de Piracicaba, em 1970, e muitos outros. Estão desaparecendo nossos artistas acadêmicos.

Edson Rontani em materia publicada no “Jornal de Piracicaba” de 29 de dezembro de 1992

domingo, 23 de setembro de 2012



Publicidade no jornal "O Estado de São Paulo" de 8 de novembro de 1892

 
A era dos teatros antecipou o rádio e o cinema. Eram atrações fantásticas, como vê-se nestas propagandas veiculadas na capital paulista. Em Piracicaba, na mesma época, as atrações ocorriam no Teatro Santo Estevam, situado na praça José Bonifácio, onde hoje está o coreto Oswaldo Petterman. Teve este nome em homenagem ao Barão de Rezende, Estevam de Souza Rezende.
 
 
 
Abaixo, publicação em "O Estado de São Paulo" de 8 de agosto de 1892
 
 
 
 

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Água que passarinho não bebe


Anúncio publicado no jornal "O Estado de São Paulo" edição de primeiro de junho de 1967.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Atelier de Almeida Júnior


É conhecia a história do pintor Almeida Júnior em frente ao Hotel Central em Piracicaba.Antes de conseguir viajar a Europa, bancado pelo mecenas Dom Pedro II, ele abriu seu atelier em São Paulo, como pode ser visto nesta propaganda veiculada no "O Estado de São Paulo" em 1° de abril de 1883.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Casa Vermelha



Vermelha – Mais um registro da publicidade piracicabana. Lá se vão quase 100 anos de publicação num dos tradicionais “almanaques” que a cidade recebia e ainda continua recebendo de empresas que exploraram comercialmente a cidade. A loja que vendia “chapéu de cabeça” encontrava-se situada na rua do Commércio, hoje rua Governador Pedro de Toledo. Cabe lembrar que "chapéus de mão" era a denominação utilizada até o início do século passado para os guarda-chuvas. Nota-se também que era uma grande fornecedora de tecidos para confeccionar roupas, garantindo, assim, a vida de alfaiates e costureiras da época. (Edson Rontani Júnior)

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Construção de pontes em Mombuca



Governador Laudo Natel inspeciona as obras de construção da ponte sobre o córrego São Jerônimo, no município de Mombuca. [00:00:50]. Sem data. Sem áudio.

sábado, 8 de setembro de 2012

Broadway



A foto, possivelmente, é dos anos 1930. A dedução vem pela vestimenta das duas pessoas que aparecem nela de forma minúscula, trajando terno e chapéu em pleno dia piracicabano. Foi tirada na altura de onde está instalado o Poupa-Tempo, antiga garagem do Comurba, na rua São José. O prédio da esquerda ostenta a denominação Correios e Telégrafos. Não existe mais. Hoje é o estacionamento do Bradesco. Demais prédios vistos na foto também ficaram na história, com exceção daquele que abrigou o Cine Brodway. Este fim existe até hoje, o qual está fechado, tendo abrigado, antes, o Bingo Broadway. O cinema, um dos maiores populares da cidade, foi também denominado de Íris, Brodway, Odeon e Tiffany. (Edson Rontani Júnior)

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Desfiles em Piracicaba

Na Semana da Pátria, quando ocorre o tradicional desfile de 7 de setembro, algumas fotos para lembrar antigas apresentações cívicas em Piracicaba.


Desfile de 7 de setembro de 1967


Encerramento de desfile de 7 de setembro de 1967 em frente ao obelisco do Soldado de 1932 na Praça José Bonifácio


Outra foto na Praça José Bonifácio em 7 de setembro de 1967